Concelhias do PS criticam afastamento de Miguel Medeiros de deputado

A exclusão de José Miguel Medeiros da lista de candidatos a deputados à Assembleia da República pelo PS de Leiria está a provocar uma onda de críticas por parte de alguns líderes concelhios do Norte do distrito de Leiria. O presidente da Federação diz que a sua proposta não foi consensual no secretariado e remeteu o assunto para a Distrital, que aprovou a lista.

A “bronca” terá rebentado quando João Paulo Pedrosa submeteu à apreciação do secretariado da federação uma lista com o nome de Miguel Medeiros em quarto lugar. Uma vez que a opinião não foi consensual, Pedrosa remeteu o assunto para a Comissão Distrital, tendo então colocado à votação dois nomes para ocupar o quatro lugar da lista: Miguel Medeiros e Jorge Gonçalves. O resultado final ditou a integração do segundo.

Na opinião de Diogo Coelho, líder distrital da JS, João Paulo Pedrosa «não teve coragem para fazer valer a sua decisão» e «remeteu-a para a Distrital, que já tinha sido escolhida por si a dedo».

Na opinião daquele jovem socialista, «pela primeira vez o Norte do distrito vai deixar de ter representatividade no Parlamento, ao contrário do que aconteceu no passado», e deixa a sua «total solidariedade» para com Miguel Medeiros, que em 2009 foi o segundo da lista.

Por sua vez, o presidente da Concelhia de Ansião, lamenta a falta do seu conterrâneo na lista, considerando Miguel Medeiros como «uma figura não só do Norte do distrito, mas também de todo o distrito». Silvério Domingues tem dúvidas sobre o método seguido pelo presidente da Federação, e refere que «houve ali qualquer coisa que não bateu certo». «Quem olhar para a lista, a primeira reacção é que o Norte do distrito perdeu peso de representatividade», afirma.

Uma opinião corroborada pelo líder socialista de Castanheira de Pera que considera que a representação do Norte do distrito «tem tido uma tradição muito importante» e que agora é quebrada. Fernando Lopes refere que aquela região «tem sido a zona que mais vitórias tem dado ao PS» e adianta que a não integração de Miguel Medeiros «foi uma perda significativa, já que constituiria uma mais valia».

Já Adelino Mendes considera Medeiros como «um dos restos mais prestigiados do distrito» não só pelo trabalho que desenvolveu enquanto Deputado durante quatro legislaturas, mas também como governador civil e secretário de Estado da Protecção Civil. E dá, como exemplo, o empenho que ele teve para a concretização da Concessão do Pinhal Interior, uma obra há muito ansiada pelos autarcas do Norte do distrito de Leiria.

João Paulo Pedrosa minimiza as críticas e refere que a lista de Leiria «foi daquelas que recolheu um dos maiores consensos e apoios». «Procurei contemplar a diversidade do distrito, colocando pessoas das diversas regiões», diz, acrescentando que «apesar do Norte do distrito ser aquela que regista menos população, foi valorizada com três pessoas nos dez primeiros lugares». Como é o caso de Marta Inês Brás (Figueiró dos Vinhos) em quinto lugar, João André Coelho (Pombal), em nono e Paula Reis (Alvaiázere) em décimo.

Adelino Mendes, Fernando Lopes e Silvério Domingues não fazem qualquer comentário sobre a inclusão de Marta Inês Brás em quinto lugar da lista, alegando não a conhecerem.

Opinião contrária tem o figueiroense Carlos Lopes. O chefe de gabinete do governador civil destaca as capacidades «pessoais e profissionais» de Marta Brás e adianta que a sua inclusão na lista representa «uma frescura e uma renovação». «Irá ser uma boa surpresa, quer durante a campanha, quer enquanto deputada, se for eleita», diz.

O nosso jornal tentou obter uma reação por parte de Miguel Medeiros mas tal não foi possível, uma vez que o mesmo se encontra ausente no estrangeiro, em missão parlamentar.

Comportamento anti-democrático e inadmissível”

Diogo Coelho não hesita ao afirmar que João Paulo Pedrosa teve um «comportamento anti-democrático e inadmissível» ao integrar na lista de candidatos nomes como sendo representantes da Juventude Socialista, quando não o são. Coelho diz que os órgãos próprios da JS aprovaram por unanimidade e indigitaram quem deveria integrar a lista de candidatos a deputados, mas o líder do PS «mais uma vez» teve um «comportamento profundamente lamentável» ao indicar outros nomes. «Quem escolhe os candidatos da JS é a comissão distrital federativa e não o presidente da federação do PS», diz Diogo Coelho, garantindo que tal situação será comunicada aos órgãos nacionais do partido.

Por outro lado, acusa João Paulo Pedrosa de ter ocultado à Distrital do PS o nome do cabeça de lista. «Disse que sabia mas que não podia dizer, e quando a reunião terminou ficámos a saber pelas televisões quem era o cabeça de lista», diz Diogo Coelho acusando Pedrosa de «sonegar informação importante a um órgão soberano do partido».

Orlando Cardoso | Diário de Leiria | Diário de Coimbra

Anúncios

Sobre factualidades
Noticias sobre temas e factos da actualidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: