Deputados preocupados com a produção artesanal do queijo Rabaçal

queijorabacal Preocupados com a produção artesanal do queijo Rabaçal, um grupo de deputados do Partido Socialista quer saber de que forma pretende o Governo contrariar a situação, que na opinião dos mesmos, está a ameaçar a actividade.

Num documento enviado ao Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Rui Pedro Duarte, Miguel Freitas e Pedro Delgado Alves, consideram que os “produtores locais e a indústria do queijo Rabaçal atravessam inúmeras dificuldades que devem merecer a atenção do Governo”.

Os parlamentares referem-se, essencialmente, à “falta de matéria-prima e a relação com os fornecedores de leite, indispensáveis à produção do queijo”. Por outro lado, “as exigências de qualidade deste produto requerem investimentos avultados por parte dos produtores artesanais, encontrando-se esta vertente produtiva ameaçada”, dizem.

Na opinião dos socialistas, “a ausência de um espaço de troca de animais/feira de gado traduz-se num obstáculo para os produtores locais, vendo-se privados de um meio de rentabilização dos seus recursos, por via da troca e comercialização de gado”.

“De que forma pretende o Governo apoiar os produtores desta prestigiada marca nacional, permitindo a alavancagem da economia local e regional, com base na promoção de produtos de qualidade?”, questionam os deputados.

Considerando que os produtores se inserem numa “faixa etária com difícil acesso ao crédito” e à “inexistência de linhas de apoio” para os investimentos exigidos, o que “ditará o fim da produção artesanal e, consequentemente, de um elemento dinamizador da economia local, fonte de sustento para muitas famílias”, os deputados querem saber de que forma o Governo pretende “contrarirar este cenário”.

Por outro lado, face à inexistência de feiras de gado na região, os deputados questionam sobre “qual a orientação do Governo” sobre aquela matéria, assim como, quais os apoios disponíveis na ajuda à promoção internacional do queijo Rabaçal, permitindo assim a “comercialização de mais um produto da marca ‘Portugal’ em feiras/mercados internacionais, criando ao mesmo tempo mais oportunidades para a região e para a indústria em particular”.

 

Anúncios

Sobre factualidades
Noticias sobre temas e factos da actualidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: