Centro intercultural em Leiria nasce em templo cristão construído sobre sinanoga

igreja miser LeiriaA criação de um Centro de Diálogo Interculturas em Leiria num templo cristão que foi construído sobre uma sinagoga “é um dos 12 projetos-âncora” que integra a Rede de Judiarias-Rotas de Sefarad, anunciou hoje a Câmara Municipal.

A construção do Centro de Diálogo Interculturas tem um objetivo cultural, ecuménico e turístico, prevendo-se trabalhos de delimitação do antigo bairro judeu com sinalética, existindo ainda a pretensão de marcar a presença, ao longo dos séculos, de três importantes religiões em Portugal.

“Entendemos que o diálogo intercultural assume, cada vez mais, importância nos dias que correm. No caso deLeiria, a coexistência do Cristianismo, Judaísmo e Islamismo é uma forma de contribuir para o multipluralismo da religião”, disse hoje à Lusa o presidente da Câmara, Raul Castro.

A Igreja da Misericórdia, para a qual está projetado o centro, foi erguida sobre a sinagoga da comunidade judaica de Leiria, pelo que o projeto apoiado pela Rede de Judiarias-Rotas de Sefarad valoriza por um lado “a perspetiva da confluência de culturas” e, por outro, “a revitalização das memórias judaica e cristã”, salientou a autarquia numa nota hoje divulgada.

No mesmo comunicado, pode ler-se que “este projeto poderá vir a ser alargado, fixando as memórias multiculturais de Leiria, que se estenderão a outros vultos de Leiria, como é o caso do poeta, cristão-novo, Francisco Rodrigues Lobo ou do padre Joaquim Carreira, que salvou dezenas de pessoas de origem hebraica durante a 2.ª Guerra Mundial”.

O projeto da Rede de Judiarias-Rota Serafad, apresentado a 26 de julho em Lisboa, está projetado para quatro anos e tem um orçamento de cinco milhões de euros, sendo mais de dois terços financiado pelo Governo da Noruega.

O Governo português participa com 705 mil euros e o terceiro parceiro é a Associação da Rede de Judiarias, criada em 2011.

A Noruega participa através do programa EEA Grants (mecanismo financeiro do Espaço Económico Europeu, com raízes na Associação Europeia de Comércio Livre – EFTA), que garante 85% do orçamento total, sendo que Oslo suporta 97% deste programa, e o restante é assegurado pela Islândia e pelo Principado do Liechenstein.

Um dos objetivos do programa passa por sinalizar nas urbes os espaços e o património edificado judaico.

A região Centro é, no país, aquela que integra a maior parte dos municípios com património judaico, entre os quais, Belmonte, Trancoso e Guarda.

O projeto prevê trabalhos de levantamento, reabilitação, organização e disponibilização do património material e imaterial relacionado o judaísmo, envolvendo, entre outros, os municípios de Lisboa, Bragança, Belmonte, Guarda, Fornos de Algodres, Freixo de Espada à Cinta, Santarém, Tomar, Penamacor e Vila Nova de Foz Côa.

Anúncios

Sobre factualidades
Noticias sobre temas e factos da actualidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: