Confrarias querem ajudar produtos a chegar à diplomacia económica

sessão confrariasApesar de não serem “agentes activos”, as confrarias gastronómicas querem esclarecer os produtores sobre as “ferramentas” disponíveis para fazerem chegar os seus produtos lá fora. Ontem, em Pombal, aquelas organizações recolheram informação junto do responsável pela Loja de Exportação de Coimbra para que possam chegar à “diplomacia económica”.

O objectivo passa agora por as diversas confrarias gastronómicas informarem ou esclarecerem os produtores para que possam, em conjunto, potencializar, ainda, mais, os produtos tradicionais.

Olga Cavaleiro, presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FPCG), destacou o valor dos produtos tradicionais como “âncora das confrarias” que têm como missão “a defesa, promoção, divulgação e dignificar” os mesmos.

Tendo em conta a “genuinidade, singularidade e qualidade que dão valor aos nossos produtos”, as confrarias querem “ter utilidade e fazer serviço público” dando o seu contributo à economia do país, diz aquela presidente.

Na opinião de Olga Cavaleiro, quando se aborda a temática da exportação “quase sempre nos esquecemos dos pequenos produtores tradicionais” que “também fazem parte da nossa economia”.

Contudo, se há um conjunto de produtos que podem ser bem sucedidos no estrangeiros, “temos de ter consciência que há outros que não dá para vender em grandes quantidades nem para exportar”, afirma, adiantando que “pode ser difícil, podem existir obstáculos, mas há que dar conta dos constrangimentos e oportunidades aos produtores para proporcionar a expansão comercial lá fora”.

Dando conta do que é o Aicep  Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, entidade pública vocacionada para o desenvolvimento de um ambiente de negócios competitivo que contribua para a globalização da economia portuguesa, João Cunha Ferreira elucidou os presentes para as diversas fases do processo de internacionalização.

Tal como Olga Cavaleiro, o responsável pela Loja de Exportação de Coimbra, enalteceu a importância dos produtos tradicionais para um “turismo de proximidade” e para a “captação de pessoas que os consideram como únicos”.

Para a realização daquela iniciativa, que decorreu no auditório da Biblioteca Municipal de Pombal, a Federação contou com o apoio da Confraria do Bodo, tendo no momento da abertura, o presidente da Câmara Municipal, Diogo Mateus, sublinhado aquele “feliz casamento”.

Anúncios

Sobre factualidades
Noticias sobre temas e factos da actualidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: