Homem condenado a 23 anos de pisão por matar a tiro irmão e cunhada

julg crime BoieirosO Tribunal Colectivo de Pombal condenou esta tarde um homem a 23 anos de prisão por ter matado um irmão e a sua cunhada a tiro de caçadeira, há mais de um ano, na pequena de aldeia de Boieiros, no concelho de Pombal, distrito de Leiria.

Joaquim Santos Gomes, de 54 anos de idade, solteiro e pedreiro de profissão foi condenado, ainda, a pagar uma indeminização de 225 mil euros às duas filhas do casal, emigrantes em França.

O Colectivo de juízes, presidido por Maria João Velez, deu como provados os factos da acusação do Ministério Público que remonta à noite de 5 de Setembro de 2012 quando José Gomes e a esposa Maria Rosa Neiva se dirigiram à residência do arguido, por motivos não apurados.

Joaquim Gomes foi ao quarto buscar uma caçadeira e regressando à cozinha da sua habitação disparou contra o seu irmão, de 61 anos. Maria Rosa, de 56 anos, fugiu para o exterior da casa, indo o arguido ao seu encalço, acabando por efectuar dois disparos na direcção dela, atingindo-a nas costas.

Depois, Joaquim Gomes foi de bicicleta entregar-se ao posto da GNR, tendo percorrido cerca de dez quilómetros e onde lhe foi detectada uma taxa de 1,12 gramas/litro de álcool no sangue.

O tribunal condenou o homem por aqueles dois crimes, não tendo dado por provados a causa apontada pela acusação que se referia a uma questão de limpeza de terrenos agrícolas.

Na leitura do acórdão, a juiz presidente traçou o “carácter” do arguido como sendo uma pessoa com “alterações psicológicas” e com alguns sintomas de “depressão” e de “paranóia”. Uma pessoa “isolada, falava e ria-se sozinho” e que apesar dos alertas feitos por uma irmã às autoridades, “nunca beneficiou de uma avaliação clínica”.

Após a leitura do acórdão, a juíza Maria João Velez, dirigiu-se a Joaquim Gomes para lhe dizer que foi condenado a 23 anos de prisão por ter “acabado com a vida à pessoa que talvez fosse o seu único amigo”.

O advogado de defesa disse aos jornalistas que a decisão do tribunal “não merece censura” uma vez que “não deixa de existir dois homicídios”. No entanto, João Henriques Marques pondera recorrer para a Relação, após uma leitura atenda do acórdão.

Anúncios

Sobre factualidades
Noticias sobre temas e factos da actualidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: