Ex-vereador da regeneração urbana respeita a “sensibilidade de todos”

Michael Mota AntonioO antigo vereador da Câmara de Pombal, Michael da Mota António, que acompanhou o desenvolvimento de todos os projectos de regeneração urbana da cidade, respeita a decisão do actual executivo em demolir o edifício destinado a quiosque e edificado no Largo do Cardal.

“Respeito a sensibilidade de todos”, afirma o ex-vereador, sublinhando que a edificação daquele imóvel foi uma das soluções de entre as dezenas de projectos concebidos no âmbito da empreitada.

Michael António realça o facto de o projecto de Parcerias para a Regeneração Urbana ter sido “um dos mais publicitados em Pombal” com “várias sessões de esclarecimento e de informação junto de comerciantes e moradores”. “Houve uma estratégia de comunicação e de informação junto da população” tendo sido “amplamente divulgado”, adianta, acrescentando que quanto ao quiosque foram elaborados vários projectos, e daquele que foi seleccionado, “foi executada uma maquete que esteve em exposição, foi exibida em reuniões com moradores e comerciantes, a qual foi amplamente divulgada nas redes sociais”.

O ex-vereador recorda que a intenção era edificar um espaço destinado a acolher um quiosque com posto de informação turística e venda de produtos regionais, engraxador, florista e sanitários públicos. “Não creio que a sua construção seja um erro porque foi devidamente pensada e analisada”, refere.

Michael António reconhece que “não é fácil agradar a todos e sobretudo conciliar os interesses e a sensibilidade de cada um”. Afirma que “teria sido necessário elaborar um projecto diferente para cada munícipe, para assim agradar a cada um individualmente”.

“Quando se muda algo, corre-se um tremendo risco, mas é necessário ter coragem de assumir a responsabilidade por essas decisões, como fizemos relativamente a todo o projecto, e bem assim no que respeita a decisões menos consensuais, como as que dizem respeito às árvores e à tela do Cardal, relativamente à Praça de Táxis, ao Largo S. Sebastião e a todo o tipo de soluções ou matéria usados”, sublinha, acrescentando que “não o foram no início, mas já são aceites hoje”.

“Respeito a decisão do actual executivo, mas se me questionasse se a tomaria, eventualmente não”, afirma.

 

Sobre factualidades
Noticias sobre temas e factos da actualidade

2 Responses to Ex-vereador da regeneração urbana respeita a “sensibilidade de todos”

  1. Dias Mendes diz:

    Se respeitasse(m) verdadeiramente a opinião dos outros tinham realizado uma “consulta pública” ao projecto PRU.

  2. Paulo Almeida diz:

    Contrariamente ao que muitos pensam mostra verticalidade e responsabilidade. Aquilo que esperamos de um politico e que encontre as melhores soluções quando estão em causa dinheiros públicos. Essas soluções tem que ser fundamentadas pelos técnicos que as apresentam. Tomar decisões de demolição de uma obra sem outra explicação da que essa obra e polémica levar-nos-ia a elaborar uma lista de obras a demolir onde se integrariam a Biblioteca Municipal, o Teatro-Cine, a Praça Marques de Pombal, as estátuas do Emigrante, da Liberdade e do Agricultor, a Rotunda do Largo dos Correios, isto para listar apenas algumas. A pergunta que devemos fazer e se este e mesmo o caminho que queremos seguir ou se não haverá coisas bem mais importantes para resolver no Concelho de Pombal

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: